7 dicas práticas para equilibrar vida pessoal e profissional

7 dicas práticas para equilibrar vida pessoal e profissional
26 de fevereiro de 2020 Nicole Lallée
Funcionária sorridente se sente satisfeita com qualidade de vida no trabalho

Buscar os filhos na escola ou participar de uma reunião do trabalho? Ir à academia ou ficar até tarde no trabalho? Essas são questões do dia a dia de muitas pessoas. À medida que você envelhece, as responsabilidades profissionais costumam crescer. Enquanto isso, as pessoais também. E, às vezes, acontece tudo tão rápido que fica difícil gerenciar e achar um equilíbrio. Você está conseguindo equilibrar sua vida pessoal e profissional, e ter qualidade de vida?

O que é o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Em inglês conhecido como work-life balance, esse conceito significa a harmonia entre os setores da vida. Cada país ou cultura pode ter uma concepção diferente. Porém, geralmente, ele engloba ter tempo e disposição para:
• Trabalho;
• Saúde;
• Família;
• Relacionamentos.

Atualmente, existe uma métrica chamada Better Life Index, que compara o equilíbrio entre vida pessoal e profissional em todo o mundo. Ela foi criada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que afirma que a capacidade de combinar com êxito o trabalho, compromissos familiares e vida pessoal é importante para o bem-estar de todos os membros de uma família.

Desta forma, eles analisam quantidade de horas trabalhadas por semana, número de mães que trabalham e tempo que as pessoas gastam em atividades pessoais. Essa pesquisa mostra a Holanda em primeiro lugar para melhor qualidade de vida, com menos de 0,5% da população tendo que trabalhar por longos períodos.

No Brasil, cerca de 7% dos funcionários trabalham horas extras, abaixo da média da OCDE de 11%. Porém, os trabalhadores brasileiros que atuam em tempo integral dedicam menos do dia em média (ou 14,6 horas) aos cuidados pessoais (alimentação, sono etc.) e lazer (socialização com amigos e familiares, hobbies, jogos, uso de computador e televisão etc.), em relação à média da OCDE de 15 horas.

Como isso impacta a sua vida?

Não conseguir organizar a vida pessoal e profissional pode afetar uma pessoa de diversas formas. Confira algumas:

Menor rendimento no trabalho

Está provado que quando o profissional não está bem consigo mesmo o trabalho não rende. Há desinteresse, falta de motivação e falta de comprometimento. Isso leva à menor produtividade no trabalho. Segundo a organização Mental Health America, quando os colaboradores estão equilibrados e felizes, são mais produtivos, faltam menos ao trabalho porque não ficam tão doentes e têm maior probabilidade de permanecer em seus empregos.

Transtornos mentais

As evidências sugerem que longas horas de trabalho podem prejudicar a saúde pessoal, comprometer a segurança e aumentar o estresse. Por isso, não conseguir equilibrar a vida pessoal e profissional pode causar depressão, ansiedade e síndrome de Burnout.

Dores em geral

Dores de cabeça, musculares e tendinite são alguns sintomas comuns em quem trabalha muito, sentado, por exemplo, e não pratica atividade física e não se preocupa com a saúde.

Desgaste nas relações

Dedicar-se de forma excessiva ao trabalho e deixar a vida pessoal de lado pode afetar relações amorosas, familiares e de amizade. Isso pode levar a um distanciamento e a um isolamento social.

Com esse cenário em mente, nos últimos anos muito tem se falado sobre como conseguir ter sucesso no trabalho e na vida pessoal. Hoje em dia, as novas gerações buscam no trabalho mais do que um bom salário. Elas querem encontrar um ambiente onde exista respeito, liberdade, transparência e flexibilidade, além de trabalhar com algo que realmente gostam.

Cada um pode encontrar seu caminho para equilibrar trabalho e vida pessoal, reservando também alguma atenção para lazer, atividades físicas, relações e boa alimentação. Mas abaixo listamos algumas dicas que podem ajudar nesse processo.

7 dicas para equilibrar vida profissional e pessoal

1. Planeje seus dias

Pode parecer exagero programar todos os compromissos e tarefas, mas se você não está conseguindo dar conta, isso pode ajudar, e muito! Uma agenda bem organizada permite que você se concentre nas tarefas mais importantes e não perca tempo à toa. De acordo com a Mental Health America, as pesquisas mais recentes mostram que, quanto mais controle temos sobre o nosso trabalho, menos estresse temos.

2. Aprenda a separar o que é importante do que é urgente

Ser capaz de atender às prioridades nos ajuda a sentir uma sensação de realização e controle. Portanto, seja realista sobre cargas de trabalho e prazos. Faça uma lista de tarefas e cuide de tarefas importantes primeiro e elimine as não essenciais. Nem sempre o que parece urgente, é realmente uma urgência.

3. Diga não

Seja no trabalho ou na vida pessoal, é essencial aprender a dizer não. Está cansada e não quer sair para beber hoje? Diga não e vá na próxima. Está com muitos projetos e não vai dar conta de mais um? Diga não ou peça prazos maiores. Explique ao seu chefe que não conseguirá realizar todos os projetos da melhor forma no tempo disponível.

4. Faça pausas

Fazer uma pausa no trabalho não é apenas aceitável, mas sim necessário. Em muitas empresas isso é incentivado. Pequenas pausas no trabalho – ou em qualquer projeto – ajudarão a clarear sua mente e a melhorar sua capacidade de lidar com o estresse e tomar boas decisões quando você voltar à rotina.

5. Delegue tarefas

O acúmulo de funções deve ser substituído por pensar melhor nas atividades exercidas, pensar no que você poderia resolver sozinho e naquilo que você pode delegar a outra pessoa. E isso não é só no trabalho. Verifique se as responsabilidades em casa são distribuídas de maneira uniforme.

6. Em casa, desconecte-se

A mesma tecnologia que torna tão fácil realizar o trabalho de casa com flexibilidade, também pode fazer com que a gente trabalhe 24 horas por dia. Evite olhar e-mail do trabalho e responder mensagens de clientes nos seus horários de folga. Claro, existem exceções. Mas não deixe que isso se torne um hábito.

7. Observe os sinais que seu corpo dá

Reconheça seus próprios limites. Às vezes, você pode achar que certos hábitos fazem parte, afinal, você quer aquela promoção ou quer mostrar que é proativa e uma boa funcionária. Mas respeite-se! Valorize o que você faz e coloque limites para que seu corpo e sua mente não sejam prejudicados.

Essas são dicas que você pode colocar em prática no seu dia a dia. Mas se você for um gestor ou profissional do RH, lembre-se de que você também pode incentivar os seus colaboradores a incluírem essas atitudes na rotina para que ganhem qualidade de vida. Confira nosso artigo sobre Por que cultivar felicidade e bem-estar nas empresas.

Nicole Lallée
Jornalista, já trabalhou com jornal impresso, rádio e sites de meios de comunicação. Migrou para o marketing digital e tem grande conhecimento em SEO e Google Analytics. De família argentina, tem fluência em espanhol, o que lhe garante bons trabalhos e a fala ligeirinha.