O seu funcionário é engajado?

O seu funcionário é engajado?
19 de maio de 2014 Latinmed

As empresas querem cada vez mais seus trabalhadores seduzidos pelo negócio, empenhados nas atividades, comprometidos com a empresa e alinhados com os valores e os princípios da organização. Tudo isso pode ser resumido em uma única palavra: engajamento.

Muitas empresas hoje oferecem muito mais que treinamentos, benefícios atrativos e bons salários. As organizações que buscam funcionários engajados também se preocupam em promover a saúde e o bem-estar dos colaboradores. Recente pesquisa realizada pela Towers Watson indicou que apenas 28% dos trabalhadores brasileiros estão engajados, índice abaixo da taxa mundial que é de 35%.

Mas afinal o que é engajamento?

Engajamento é o estado de envolvimento ou comprometimento emocional e intelectual de um funcionário que resulta em uma mudança de comportamento. Muitas empresas criam métodos para medir o índice de engajamento para melhorar a gestão de pessoas, construir e sustentar um alto desempenho dos negócios.

É relativamente fácil identificar pessoas felizes no ambiente de trabalho, entretanto é um desafio ter pessoas genuinamente engajadas, que atuam de forma apaixonada, comprometidas em buscar ótimos resultados para a empresa. Estar engajado vai muito além de estar satisfeito, implica em ter paixão e estar conectado com os objetivos da empresa. Naturalmente, quanto mais alto o índice de engajamento de uma empresa, maiores serão a produtividade, a lucratividade e menor será o índice de rotatividade de pessoas.

Mas quando falamos em pessoas é preciso lembrar que o ser humano é único e cada pessoa reage de uma maneira diferente a estímulos e acontecimentos. Não existe um indivíduo que pense, aja e sinta exatamente igual todos os dias. E aqui está o grande desafio de manter o engajamento constante, que não só depende da motivação, mas precisa conectar os desejos do colaborador aos valores, à missão, à visão e ao DNA da empresa.

Desafios e oportunidades: como engajar os funcionários?

O ser humano é movido por quatro desejos básicos: ser aceito, compreendido, apreciado e reconhecido. A recompensa financeira, a oportunidade de crescimento e o bom relacionamento com colegas de trabalho são fundamentais para manter a motivação do colaborador, facilitando o engajamento. Mas, o papel do líder é o mais importante, se o gestor não incentiva, reconhece e valoriza seus funcionários, o engajamento fica comprometido. Todos esses fatores precisam caminhar juntos e talvez isso explique porque o índice de engajamento do trabalhador brasileiro esteja abaixo da média global. Esse é, sem dúvidas, o maior desafio.

A saída para as empresas conquistarem o comprometimento dos colaboradores tem sido uma adequação aos contratos de trabalho, ou seja, dar mais autonomia, flexibilidade, tratá-los com mais respeito e cuidado. Fazer com que se sintam únicos e essenciais à empresa. Isto também pode gerar o engajamento tão desejado. Portanto, instigar o engajamento ou a paixão dos empregados é um investimento, que pode ter um custo à empresa, mas é sempre recompensador.

Dicas para a liderança manter o funcionário mais engajado

Mostre apreciação – Crie programas de reconhecimento e lembre-se de elogiar o trabalho bem feito.

  • Ofereça oportunidades – Não há nada pior do que um trabalho sem perspectivas. Forneça aos funcionários um caminho para o crescimento profissional.
  • Compartilhe os benefícios – Lembre-se de dividir todas as gratuidades e convites que receber. Torne os benefícios acessíveis tanto aos estagiários quanto ao diretor-presidente. Use o poder de compra da sua empresa para oferecer descontos aos funcionários.
  • Comunique-se – Reúna-se regularmente com seus funcionários para mantê-los informados e motivados. Estimule-os a procurá-lo diretamente para expor suas ideias e dificuldades.
  • Lidere pelo exemplo – A política da empresa vale pare todos. Dê o exemplo e tenha o comportamento que você espera dele.
    Mantenha-se otimista – Lide com os erros cometidos em particular e não extravase suas frustrações para a equipe.
  • Solte-se – Conviva com sua equipe. As melhores empresas são aquelas em que há uma sensação de família, gerando uma mentalidade de proteção mútua nos momentos de crise.
  • Evite o excesso de trabalho – Hora extra não é sinônimo de mais resultados. O lazer repõe as energias e a criatividade pessoal.