SEO para o segmento de saúde: como aparecer na primeira página do Google

SEO para o segmento de saúde: como aparecer na primeira página do Google
20 de maio de 2019 Nicole Lallée
Homem com celular e caneca azul nas mãos e tela de busca com a palavra "SEO"

Algumas técnicas fazem toda a diferença no seu posicionamento no Google

Em vez de ler, que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo:

Imagine que você acabou de dar uma repaginada no site da sua empresa que é do segmento de saúde e o design dele está moderno, clean e muito bem feito. Porém, existe só um probleminha: ninguém consegue encontrar você pelo Google.

É aí que entra o SEO (Search Engine Optimization), ou seja, otimização para mecanismos de buscas. Mas o que quer dizer isso? SEO consiste em um conjunto de técnicas e estratégias que melhoram o posicionamento do seu site nos resultados orgânicos dos mecanismos de busca mais utilizados no mundo.

De acordo com Moz, uma das empresas mais respeitadas do mundo em SEO, esse conceito é a “prática de aumentar a quantidade e a qualidade do tráfego para o seu site por meio de resultados de pesquisas orgânicas”. Isto é, ao seguir as regras de SEO, é possível aparecer na primeira página do Google e assim aumentar visibilidade, gerar leads e consequentemente mais clientes. Isso é ainda mais importante para alguns tipos de sites, como os da área de saúde. Algumas regras fazem toda a diferença nesse setor.

Como o Google funciona?

O Google segue três etapas básicas, que incluem diversas regras, para selecionar as páginas de Web. Entenda cada fase:

Rastreamento

O Google explica que eles precisam pesquisar constantemente novas páginas e adicioná-las à própria lista de páginas conhecidas. Há várias formas de melhorar o rastreamento do seu site, como enviar uma lista das suas páginas (um sitemap) ao Google, enviar um URL individual e vincular sua página à outra que o Google já conhece.

Indexação

Depois que uma página é descoberta, o Google analisa o conteúdo da página, cataloga arquivos de imagens e vídeos incorporados e tenta identificar sobre o que se trata. Para melhorar a indexação, é necessário ter conteúdos bons, com cabeçalhos que expressem o assunto da página.

Veiculação

Para dar a melhor resposta quando o usuário faz uma consulta, o Google tenta determinar as respostas mais adequadas e com melhor qualidade. A empresa também avalia outras considerações que fornecerão a melhor experiência do usuário, como localização, idioma e dispositivo.

Como melhorar o posicionamento do site?

Agora que você já sabe o conceito de SEO e como funciona o processo do Google, vamos entender melhor quais são essas técnicas de SEO. Seja seu site novo ou antigo, é importante sempre aprimorá-lo e atualizá-lo de acordo. Isso porque as regras mudam e o algoritmo do Google também.

Primeiro passo importante é entender que você precisa focar no usuário, pensar quem é seu público-alvo, qual é a necessidade dele, o que ele busca e que problemas enfrenta. É importante se colocar no lugar do consumidor. Estudos do Think With Google indicam que as buscas estão virando conversas. Procura por “posso usar Paypal na Amazon” ou “que laptop eu deveria comprar” estão aumentando.

As buscas estão ficando também mais específicas e coloquiais. No caso de cuidados pessoais por exemplo, de “melhor shampoo” mudou para “que shampoo eu deveria usar?”.

Além disso, pesquisas por voz estão aumentando e as pessoas tiram dúvidas. Ou seja, perguntas que iniciam com os termos “onde”, “quando”, “como”, “qual” e “por que” são muito comuns e o Google busca responder essas dúvidas. Portanto, conheça quem que você quer atingir.

Pesquisando no google

Agora, vamos para as técnicas práticas. Existem centenas de fatores de SEO que influenciam seu site. Vou citar algumas das principais. Confira!

5 dicas de como melhorar seu site para o Google

1. Reconhecimento e autoridade

A especialidade e o reconhecimento de um site aumentam sua qualidade. Ainda mais na área de saúde. Em 2018, o Google atualizou seu algoritmo e sites YMYL (Your Money or Your Life) foram afetados. Estes são sites que podem impactar a futura felicidade, saúde, estabilidade financeira ou segurança dos usuários. Portanto, páginas com informações médicas entram nessa lista. Por serem sites que lidam com questões importantes e sensíveis, o Google espera que sejam feitas por quem tem conhecimento e estrutura para isso. Eles usam as diretrizes do E-A-T (Expertise, Authoritativeness and Trustworthiness) para avaliar o site e seu conteúdo.

Assim sendo, eles verificam se o site é criado ou editado por pessoas com experiência no assunto. Por exemplo, citar fontes experientes ou reconhecidas pode ajudar. E uma página “Sobre Nós” deve identificar claramente quem é a empresa e criadora do conteúdo. Um texto sobre exercícios físicos escrito ou validado por alguém que estudou o assunto é bem diferente de um escrito por alguém sem formação.

2. Site rápido

Um site lento pode desencorajar o usuário a deixar de ler um artigo ou comprar um produto. Segundo o eConsultancy, 40% das pessoas abandonam um site que gasta mais de 3 segundos para carregar. Portanto, é muito importante otimizar a velocidade do site e melhorar a experiência do usuário. Isso pode ser feito removendo plugins e elementos desnecessários, otimizando imagens, reduzindo arquivos CSS, entre outras questões.

3. Mobile-friendly

Pesquisas mostram que usuários de celular ultrapassaram usuários de desktop por volta de 2014. No Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, celular é um meio de acesso à internet para 97% dos usuários brasileiros que usam internet. Por isso, é muito importante que seu site tenha um design responsivo e que seu conteúdo seja amigável ao mobile.

Para ver se seu site é mobile-friendly, é possível usar uma ferramenta do próprio Google. Olhe, por exemplo, o resultado do nosso site:

Ferramenta de teste mobile friendly

4. Conteúdo profundo e escaneável

Os conteúdos do site precisam ser feitos focados nas demandas dos usuários. Quais são as dúvidas deles? O que eles buscam? Assim, é importante fazer textos para o blog que sejam profundos, bem escritos e fáceis de ler. Para isso, utilize parágrafos curtos, subtítulos, listas e termos relevantes em negrito.

Além disso, é importante fazer uma pesquisa de palavra-chave na qual seu texto deve se basear. Ela deve ser inserida no artigo de forma natural. Explore também a semântica no conteúdo, incluindo outras palavras relacionadas e sinônimos. Se possível, coloque também imagens, vídeos, gifs ou áudios ao longo do conteúdo.

5. HTTPS e a segurança do seu site

Essa dica é antiga, mas muitos sites ainda não se adaptaram. O Google entende que sites HTTPS, ou seja, que têm certificado SSL são seguros e prezam pela boa navegabilidade do usuário. Portanto, ele aumenta a credibilidade e beneficia o ranqueamento no buscador. Além do “https://” na barra de navegação, os sites protegidos costumam apresentar um cadeado verde ao lado da URL.

O processo de SEO normalmente ocorre por meio de pequenas modificações em partes do seu site. Pode parecer que são apenas melhorias adicionais quando vistas individualmente. Mas, quando combinadas com outras otimizações, o impacto em termos de experiência de usuário e resultados da pesquisa orgânica é notável. Portanto, não tenha medo das mudanças.

É muito importante também acompanhar e analisar os efeitos destas mudanças. Assim, você registra o que está funcionando e o que não está. Existem várias ferramentas que podem ajudar. Aqui na Latinmed nós usamos, além das ferramentas do Google, o SemRush, que é uma das melhores ferramentas atuais de SEO e web analytics.

Você ficou com alguma dúvida? Pode deixar seu comentário ou entrar em contato conosco!

Nicole Lallée
Jornalista, já trabalhou com jornal impresso, rádio e sites de meios de comunicação. Migrou para o marketing digital e tem grande conhecimento em SEO e Google Analytics. De família argentina, tem fluência em espanhol, o que lhe garante bons trabalhos e a fala ligeirinha.