Conheça 5 erros comuns de SEO que você deve evitar

Conheça 5 erros comuns de SEO que você deve evitar
13 de maio de 2020 Nicole Lallée
SEO - bom ruim péssimo

Essencial para aparecer nas primeiras páginas do Google, o SEO (Search Engine Optimization) é necessário para aumentar o tráfego orgânico do site. A longo prazo, um SEO bem feito garante um alto número de acessos ao site sem ter que recorrer a mídia paga. Porém, se feito de maneira errada, pode prejudicar, e muito, a sua estratégia de marketing digital.

Por isso, separamos algumas dicas de práticas básicas no SEO, mas que infelizmente muitas empresas e profissionais não seguem.

O que é SEO?

Apenas para relembrar, SEO significa otimização para mecanismos de buscas. Esse conceito consiste em um conjunto de técnicas e estratégicas que melhoram o posicionamento de sites nos resultados orgânicos de mecanismos de buscas, como o Google.

Agora, vamos às dicas do que é necessário ter atenção e parar de fazer já para seu site ter sucesso!

Erros comuns de SEO

1. Conteúdos de baixa qualidade

O Google vem cada vez mais valorizando conteúdos de qualidade e atualizados. Portanto, conteúdos fracos, superficiais, sem imagens ou recursos informativos como vídeos ou infográficos, dificilmente conquistará boas posições. Ainda mais na área da saúde, os sites são considerados pelo Google páginas YMYL (Your Money or Your Life), ou seja, sites que podem impactar a futura felicidade, saúde, estabilidade financeira ou segurança dos usuários. Por isso, a exigência por qualidade é ainda maior.

2. Não usar heading tags

As heading tags (h1, h2, h3, h4, h5 e h6) são tags HTML que devem ser usadas como títulos e intertítulos nos conteúdos. A h1 é a mais importante, portanto, seria o título. Já a h2, o subtítulo, e assim por diante. Elas servem para estruturar e costumam ser o conteúdo mais visível na página. Para o Google, esse é um fator fundamental para mostrá-lo nos resultados de busca. “Use headings e títulos descritivos, pois ajudam o usuário a navegar no site e na página”, afirma a plataforma no Google Developers. Mas algo importante a se lembrar: as páginas podem ter mais de um h2, mas o ideal é que não tenha mais de um h1.

3. Falta de otimização de links internos e externos

Usar links internos ao longo dos seus conteúdos é muito importante para ajudar na experiência do usuário, aumentar acessos de outras páginas e fator essencial de SEO. Os links internos apenas são links do seu próprio site. Por exemplo, você escreveu um conteúdo sobre dicas para cuidar do cabelo no verão e tem outro conteúdo sobre queda de cabelo. Você pode mencionar esses conteúdos um no outro e incluir o link deles.

Já os links externos são os que você inclui no seu conteúdo, mas que apontam para outros sites. Por exemplo, ao citar pesquisas de instituições e fontes que usou para escrever seu conteúdo, é muito importante que coloque o link de onde achou essas informações. O Google reconhece isso como uma prática importante pois cria uma rede de sites conectados e é bom para o usuário quando há trocas de links de qualidade.

Mas não se esqueça que os links devem ser incluídos de forma natural durante o texto e os links externos podem ser colocados com a opção “abrir página em outra guia” para o usuário continuar navegando no seu site. O ideal, nos dois casos, é usar um texto âncora que tenha relação com o assunto da página.

4. Problemas com meta tags

As meta tags, como tags de título e descrições meta, são subestimadas por muitos redatores e programadores. Mas, elas são essenciais para os mecanismos de pesquisa identificarem os tópicos das suas páginas e para convencer o usuário a entrar no seu site.

A meta-description é aquele pequeno resumo que aparece abaixo do título no resultado de pesquisa no Google. Já a tag de título é o título do seu conteúdo no resultado de busca, porém, é recomendado que não seja igual ao título interno.

Estas metas tags devem ser únicas e personalizadas. É importante que incluam as palavras-chave mais relevantes do conteúdo da página, sejam atraentes e tenham o tamanho correto. De acordo com a Moz, empresa americana referência em SEO, hoje, o ideal para o Google é que a meta description tenha de 155 a 160 caracteres. Ainda segundo Moz, a tag de título deve ter entre 50 e 60 caracteres.

5. Ter um site lento demais

Quando a velocidade de carregamento das páginas do site é lenta, menor é a probabilidade de engajar os usuários. O Google já indicou que a velocidade do site e, assim, o tempo de carregamento das páginas, é um dos fatores usados por seu algoritmo para ranquear as páginas. Porém, muitos sites ainda são impactados por sua velocidade. Vários fatores podem afetar o carregamento das páginas, como desempenho do servidor, redirecionamentos e tamanhos de imagens.

Confira mais artigos sobre marketing digital aqui no nosso blog!

Nicole Lallée
Jornalista, já trabalhou com jornal impresso, rádio e sites de meios de comunicação. Migrou para o marketing digital e tem grande conhecimento em SEO e Google Analytics. De família argentina, tem fluência em espanhol, o que lhe garante bons trabalhos e a fala ligeirinha.