Blog

Os melhores aplicativos para cuidar da saúde

Mariana Marino 26/08/2016 Era Digital
Hand holding smart phone with abstract glowing squares

O uso da tecnologia, dos smartphones e dos aplicativos veio para ficar na área da saúde. As lojas de aplicativos para IOS e Android disponibilizam uma imensa variedade de opções que crescem a cada dia e vão desde apps fitness, que ajudam com a dieta e a prática de exercícios, até aqueles voltados para a saúde, como controladores de glicose, ritmo cardíaco e consultas médicas.

Lançado há menos de um ano, o Docway, por exemplo permite chamar um médico até sua casa com a mesma facilidade de pedir um uber ou comida por delivery. Segundo Fábio Tiepolo, CEO da Docway, a ideia surgiu da “necessidade de inserir a tecnologia na área de saúde, aliado à conveniência, rapidez e qualidade”. Além disso, é uma forma de resgatar o contato humano entre médicos e pacientes e renovar a tradição das visitas domiciliares. “Em Minas, onde essa prática ainda é bastante comum, o aplicativo foi muito bem recebido”, conta Tiepolo.

Outro aplicativo que veio para ajudar os pacientes a manter sua saúde em dia é o Einstein Vacinas. Desenvolvido pelo Hospital Albert Einstein, o app ajuda a manter a caderneta de vacinação em dia ao emitir alertas avisando quando as doses devem ser tomadas e indicar a Unidade Einstein ou Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de acordo com a geolocalização do paciente. Segundo Eduardo Cordioli, gerente médico da Unidade Ibirapuera e idealizador do aplicativo, a ideia surgiu após ele perceber que muitos pacientes deixam de tomar alguma vacina ou de voltar para a segunda ou terceira dose simplesmente porque não se lembram.

Entretanto, com a alta conectividade, vem o risco de ataques cibernéticos. Tanto que, um dos desafios da área de saúde em 2016, segundo a pesquisa, é justamente garantir a segurança desses dispositivos e sistemas. O uso dos dados gerados por estes aplicativos – fenômeno conhecido como big data – também gera controvérsia.

Ao mesmo tempo que estas informações podem ajudar os médicos a salvar vidas, a privacidade dos usuários é questionada. Um estudo publicado em março na revista científica JAMA, mostrou que dados de pacientes são vazados para anunciantes e outras bases de dados sem o devido consentimento. Entre os 211 aplicativos analisados, 81% não tinham políticas de privacidade estabelecidas e, nos 19% restantes, as políticas eram pouco transparentes.

Nos Estados Unidos, a agência reguladora de medicamentos (FDA, na sigla em inglês), regulamenta aplicativos usados para o diagnóstico, cura, mitigação, tratamento e prevenção de doenças ou que afetem a estrutura ou qualquer função do corpo. Ou seja, os aplicativos regulados são aqueles que transformam o celular em um dispositivo médico, como um medidor de pressão arterial, insulina, estetoscópio ou um leitor de glicose no sangue. Já aplicativos relacionados ao bem-estar como dieta, exercícios ou reguladores de sono não entram na lista.

Uma pesquisa da Top health industry issues of 2016, da network global PwC, mostra que o número de pacientes que fazem uso de aplicativos relacionados à saúde em seus smartphones dobrou em 2015 em relação a 2013, passando de 16% para 32%. Além disso, a maioria dos pacientes entrevistados (60%) se mostraram dispostos a realizar uma consulta médica por videoconferência e 81% dos médicos participantes disseram que o acesso a informações médicas por meio de dispositivos móveis ajuda no tratamento dos pacientes.

Essa tendência se reflete diretamente no lançamento de aplicativos relacionados ao bem-estar e aos cuidados de saúde. Entre as novidades neste ramo no Brasil estão os que ajudam os pacientes a manter a vacinação em dia e os que facilitam o  atendimento médico.

No Brasil, ainda não há uma regulamentação específica para aplicativos de saúde, mas o Docway, por exemplo, e atua seguindo regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) que, por exemplo, proíbe a divulgação da avaliação dos profissionais de saúde cadastrados.

Veja abaixo os melhores aplicativos disponíveis para cuidar da sua saúde.

1. DocWay

saude-doc-way-aplicativo

Lançado em setembro de 2015 em Curitiba, o Docway é um aplicativo que conecta médico e paciente para um atendimento domiciliar. Para usar, basta baixar o aplicativo (disponível gratuitamente para Android e IOS), cadastrar-se, selecionar a especialidade desejada, escolher o preço que mais se adequa ao seu orçamento (o valor varia de acordo com o profissional) e agendar a consulta. A lista dos médicos disponíveis é definida pela localização do paciente, pois cada médico define o tamanho da área na qual irá atuar. O pagamento é feito pelo próprio aplicativo – por cartão de crédito – e o aplicativo disponibiliza recibo que facilita o pedido de reembolso, caso o paciente tenha plano de saúde. Em caso de emergência, o usuário não escolhe o médico, mas o aplicativo garante que um especialista chegará até você em no máximo três horas a um preço fixo de 200 reais. “O atendimento imediato passa por uma triagem, ou seja, dependendo dos sintomas do paciente, ele precisa chamar uma ambulância imediatamente ou ser encaminhado para um hospital. Neste caso, nem adianta o médico ir ao local, pois não terá condições de dar o atendimento necessário.”, explica Fabio Tiepolo, CEO da Docway. Atualmente, o aplicativo está disponível em cerca de 40 cidades, entre elas quatro capitais: Curitiba, Belo Horizonte, Manaus e São Paulo, e conta com mais de 1.000 médicos cadastrados. Segundo Fabio Tiepolo, o “critério” para o aplicativo estar disponível em uma cidade é ter pelo menos um médico cadastrado que atenda a localidade. Além das consultas e do atendimento imediato, o aplicativo oferece também vacinas e exames em domicílio.

2. Einstein Vacinas

saude-einstein-vacinas-aplicativo

Lançado em maio, o Einstein Vacinas tem como objetivo ajudar a manter a caderneta de vacinação em dia de forma interativa. O aplictivo, idealizado por Eduardo Cordioli, gerente médico da Unidade Ibirapuera, avisa, com antecedência, o dia da próxima imunização ou dose e indica a Unidade Einstein ou Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de acordo com a geolocalização do usuário. Segundo Cordioli, a ideia surgiu após o médico perceber que muitos pacientes deixam de tomar alguma vacina ou de voltar para a segunda ou terceira dose simplesmente porque não lembram e, neste caso, a imunização fica comprometida. Além dos alertas, o aplicativo conta com uma sessão de dicas para o viajante, uma de informações técnicas – como possíveis efeitos colaterais – sobre as vacinas, além da possibilidade de incluir cadernetas de diversos usuários, como dos filhos, pais e cônjuges. O app está disponível gratuitamente para dispositivos Android e IOS.

3. Dieta e Saúde

saude-aplicativo-dieta-e-saude

Por meio de um “programa de pontos”, o Dieta e Saúde ajuda os usuários a seguir sua dieta. Ao baixar o app, é preciso criar um cadastro e informar sua altura e a meta de peso. Automaticamente o aplicativo recomenda uma pontuação diária para que você consiga perder os quilinhos extras. Além disso, ele emite lembretes e faz um histórico de emagrecimento. O Dieta e Saúde contém também um banco de dados sobre alimentos e exercícios físicos que classificados em diferentes pontuações. Para acompanhar o progresso da dieta, o app disponibiliza a aba “Evolução”, com base nas informações inseridas. A grande desvantagem é que a pontuação “bônus”, baseada na prática de atividade física, só está disponível na versão paga, que varia entre 9,99 e 11,99 dólares por mês. O plano de assinante oferece também um cardápio personalizado e orientação sobre o que comer, além da possibilidade de mandar mensagens ou participar de reuniões online com especialistas. Disponível gratuitamente para Android, iOS, Windows Phone.

4. Sleep Time

saude-sleep-time-aplicativo

O Sleep Time é um aplicativo (disponível para Android e IOS gratuitamente) que busca ajudar as pessoas a melhorarem a qualidade do seu sono. Ter uma noite longa e tranquila de sono é fundamental para uma boa saúde, entretanto isso pode ser uma missão impossível para muitas pessoas. Diante disso, o Sleep Time se propõe a analisar a qualidade do sono dos usuários, fornecer um relatório sobre isso e funciona como um despertador inteligente. O algoritmo do app monitora a qualidade do sono do seu sono ao relacionar os movimentos que você faz ao dormir com a qualidade de sono. Para que isso aconteça, o usuário precisa colocar o smartphone com a tela virada para baixo e o app aberto sobre o colchão, o software observa então os períodos em que você fica imóvel, faz movimentos suaves ou agitados na cama. Essas informações permitem que o app calcule quantas horas você esteve em sono profundo, em que momentos despertou e se está cumprindo todos os estágios de uma noite bem-dormida. Os dados coletados podem ser expressos em um gráfico, que você pode enviar ou mostrar para seu médico ao discutir problemas do sono. O Sleep Time também conta com um despertador que te acorda no horário em que seu corpo está mais disposto para isso, melhorando a sensação de despertar, função que pode ser muito bem-vinda nos finais de semana, quando não precisamos, necessariamente, acordar em um horário predeterminado. O app também disponibiliza som de paisagem sonora ou ruído branco para facilitar a indução do sono.

5. Instante Heart Rate

saude-instante-heart-rate-aplicativo

O Instante Heart Rate consegue medir o batimento cardíaco instantaneamente através de um simples toque em seu smartphone. Com uma das melhores precisões, o aplicativo usa a câmera do celular para detectar seu batimento cardíaco pela ponta do dedo. Basta colocar a ponta do indicador sobre a câmera e segurar por alguns segundos. Assim como nos monitores hospitalares, o aplicativo emite um sinal sonoro e um gráfico em tempo real de cada batida, o que permite acompanhar as variações. Outra função interessante, é a possibilidade de utilizar o aplicativo para monitorar sua frequência antes, durante e depois dos treinos. Já que a frequência cardíaca durante a prática de exercícios tem papel fundamental no alcance dos seus objetivos, tanto estéticos quanto de melhora cardiovascular. O app está disponível gratuitamente para sistemas Android e IOS.

6. GlicoCare

saude-aplicativo-glico-care

O GlicoCare ajuda os diabéticos a acompanharem a doença. As duas funcionalidades principais do aplicativo são: o diário glicêmico, que facilita o acompanhamento das medidas de glicose e o diário alimentar, que traz informações simplificadas (valor calórico e quantidade de carboidratos) sobre os alimentos. Outras funcionalidades são o diário de atividades físicas, de utilização de medicamentos, anotações, a configuração de lembretes e dicas de saúde e estilo de vida. O GlicoCare está disponível gratuitamente para Android e IOS.

7. Calendário Menstrual (Period Tracker)

saude-aplicativo-period-tracker

O Calendário Menstrual (Period Tracker) ajuda mulheres a acompanharem seu ciclo menstrual. Disponível gratuitamente para iOS e Android, para começar a usar o aplicativo basta inserir o início do seu ciclo menstrual (primeiro dia da menstruação) do mês em que começar a utilizar o app. Após três meses de uso, o aplicativo indicará, baseado nos meses anteriores, quando provavelmente será a próxima menstruação. Outras funcionalidades do aplicativo são: indicação do número de dias até sua próxima menstruação, o quanto ela está atrasada (se estiver), data do período fértil, área para controle de ganho de peso, monitoramento de temperatura e exportação das informações armazenadas para um e-mail. O Calendário Menstrual também permite definir uma senha para acessar o app, garantindo privacidade às informações adicionadas a ele. É importante ressaltar que o Period Tracker não deve ser utilizado como método contraceptivo, já que pode haver variação no ciclo menstrual, e sim uma ferramenta que pode ajudar a manter um maior controle sobre seu ciclo menstrual.

8. Tá na Mão

app-ta-na-mao-prefeitura-sao-paulo-prevenccca7acc83o-dst

O aplicativo Tá na Mão, disponível gratuitamente para Android e IOS, permite que os usuários calculem seu risco de contrair o vírus HIV, de acordo com as características da relação sexual, além de trazer informações sobre como se prevenir da infecção. Desenvolvido pelo Programa Municipal de DST/Aids, da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, o aplicativo traz também os endereços de onde fazer o teste para a doença, retirar camisinhas e ter acesso à profilaxia pós-exposição no município.

9. Nike Training Club

aplicativo-nike-training-club-20160714-004

O Nike Training Club é praticamente um personal trainer de bolso e de graça. O aplicativo te ajuda a alcançar seus objetivos fitness, sela ele emagrecer, ficar forte ou mais saudável e é indicado tanto para quem já pratica exercícios físicos regularmente como pra quem quer começar. Ao inserir suas informações, o aplicativo permite escolher vários exercícios individuais para praticar ou, após definir uma meta a ser alcançada em quatro semanas, cria um treinamento personalizado. Com opções de treinos que vão de 15 min a 45 min, o Nike Training Club se encaixa mesmo nas rotinas mais atarefadas. Para relaxar, os últimos minutos dos treinos são dedicados a alongamentos e até mesmo sugere algumas poses de yoga. Outro ponto positivo do aplicativo é que a maioria dos exercícios sugeridos exige poucos recursos extras, que podem ser facilmente encontrados ou substituídos com soluções “caseiras”. Também é possível selecionar uma playlist com as suas músicas preferidas ou apenas ficar ouvindo os “comandos e frases motivacionais” emitidos pelo app ao longo do treino, como “faltam apenas 10 segundos” ou “você consegue!”. O app também mantém um histórico dos exercícios e indica seu progresso. O Nike Training Club também traz instruções detalhadas dos exercícios, além de guias em áudio e vídeo demonstrando exatamente como fazer. O app também oferece “recompensas” conforme você vai avançando, como medalhas quando você completa uma série ou “parabéns” de atletas ou celebridades. Disponível gratuitamente para Android e iOS.

Fonte: Veja Abril Saúde